top of page

CULTURA

  • Foto do escritorJorge Campos

Afinal, a direita é social-democrata, Marcelo também e o PSD bascula

Atualizado: 16 de dez. de 2020



a social-democracia em Portugal está em alta, à direita. o professor Marcelo anunciou a recandidatura e declarou-se social-democrata. há não muito tempo, o professor Cavaco publicou um livro a demonstrar ser ele o verdadeiro social-democrata. a prová-lo, os seus formidáveis governos. Rui Rio, evidentemente, também é social-democrata. basta lembrar a sua sensibilidade social quando, eleito para a Câmara do Porto, disse que não haveria cultura, supérflua no seu alto critério, enquanto houvesse pobreza nos bairros sociais. cumpriu. pôs-se a pensar em grande e arranjou algo de tão essencial quanto um festival de francesinhas. depois, inventou uma corrida de calhambeques. finalmente, contratou acrobacias aéreas.



não sei o que esta gente pensa da social-democracia, mas o raciocínio não deve andar longe do que há anos o então mais jovem deputado da Assembleia da República, Duarte Marques, disse numa entrevista à Antena 1. eu ouvi. para ele, os grandes faróis teóricos da causa eram Durão Barroso e Santana Lopes, certamente dois portentos conceptuais, embora, receio bem, de outros carnavais. vamos ver. o PSD nunca foi da linhagem social-democrata tal como é histórica e teoricamente referenciada. nasceu após o 25 de Abril como PPD (Partido Popular Democrático). atraiu democratas, parte dos bem instalados do Estado Novo e uma legião de conservadores receosos da mudança. também houve pessoas mais inconformadas que julgaram poder criar um verdadeiro partido social-democrata. não sei se resta algum no ativo.



Sá Carneiro, vindo da ala liberal da Assembleia Nacional, era um democrata. tentou mudar o regime por dentro. chegou a pedir a integração na Internacional Socialista, o que lhe foi negado por Mário Soares. por essa altura, o programa do partido, manifestamente condicionado pelos sinais do tempo, propunha coisas que só podem parecer mirabolantes a qualquer militante, simpatizante ou eleitor do atual PSD. olhando para os cartazes desse tempo é óbvia a busca de um rumo. num, dizia-se o PPD não é de direita. noutro, o PPD é de centro-esquerda. noutro ainda proclamava-se a social-democracia como via para o socialismo.



quando, há 40 anos, Sá Carneiro morreu no fatídico acidente aéreo de 4 de dezembro, o seu posicionamento político mudara. emergia o perfil autoritário de alguém que apoiava na corrida à Presidência da República um dos generais mais retrógrados das Forças Armadas, Soares Carneiro, candidato contra Ramalho Eanes. a consigna de Sá Carneiro passara a ser “um presidente, um governo, uma maioria”, de certo modo ultrapassando o 25 de Novembro pela direita. da sinuosa disputa sucessória haveria de sair o ”único verdadeiro social-democrata", o professor Cavaco. muito mais tarde, após uma imaginativa sucessão de cocktails ideológicos, apareceu o dr. Passos, obreiro do neoliberalismo mais serôdio e padrinho espiritual de um sujeito de nome Ventura. hoje, ninguém no PSD saberá dizer ao certo o que aquilo é, aliás, em coerência com o seu percurso histórico.



mantendo a sigla PSD não tem qualquer problema em ser considerado um partido de direita. integra há anos o PPE. para utilizar uma imagem futebolística, bascula, ou seja, vira o jogo de acordo com as circunstâncias e conforme lhe dá jeito. sendo, no essencial, um partido democrático, sempre foi assim. muitas vezes me disseram de dentro, bem vê somos um partido de poder. é certo. e a social-democracia também não é exclusiva de ninguém. mas podiam deixar-se de fantasias. davam à malta mais aguerrida umas aulas de introdução ao pensamento político e largavam a bengalinha SD. era bom para todos. achatavam a curva da crise de identidade, desdramatizavam os problemas existenciais e poupavam brutalmente no espectáculo habitual da psicanálise em grupo. coragem. tentem PDP (Partido da Direita Portuguesa). vá lá…

248 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page