CULTURA

  • Jorge Campos

Na penumbra da memória, o homem com qualidades

Atualizado: 6 de Nov de 2020


a imagem é do joão abel manta, claro. o texto faz parte de um outro tempo. não sei ao certo a razão pela qual decidi recuperar da arca dos desperdícios estas coisas. ou serão elas que resolveram saltar cá para fora?

Ei-lo, o pequeno acrobata do gesto e da palavra, o exemplar chefe de família tão meticuloso no horário e empertigado na gravata, o infatigável insecto devorador de papel azul, timbrado de preferência, e nele embrulhado no cumprimento de tarefas absurdas como se nelas celebrasse o ritual dos gestos sem história e das palavras sem enredo do dia a dia dos favores de circunstância. Ele é o funcionário zeloso de um tempo de silêncio e chumbo quando a morte autoriza ainda matar sem paixão e o vento dos cadáveres sopra favorável aos beatos da intriga em nome dos altos valores da nação.


fevereiro de 1974

119 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

oblivion