CULTURA

  • Jorge Campos

O que é o IRI?

Atualizado: Mar 2



O Ciclo de Fotografia e Cinema Documental Imagens do Real Imaginado é uma iniciativa dos Cursos de Tecnologia da Comunicação Audiovisual e de Tecnologia da Comunicação Multimédia da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto que se realiza anualmente em Novembro. Vai agora entrar na sua 6ª edição denominada Rosto Transversal.

O Ciclo não se destina a competir com os festivais, é antes um fórum de reflexão sobre matérias que sendo do âmbito dos planos curriculares interessa igualmente ao público em geral numa perspectiva de abertura da escola à comunidade. Foi concebido em função de três eixos estratégicos:


- como forma de dar maior visibilidade ao Curso, estreitando os laços com o exterior e, em particular, com o meio profissional onde, aliás, tem tido grande aceitação, na perspectiva da adequação à Declaração de Bolonha;


- promover a internacionalização através de um número sempre crescente de parcerias e proporcionar aos estudantes o contacto directo com obras, artistas e especialistas cuja acessibilidade, de outro modo, seria praticamente impossível;


- lançar as bases de um Mestrado em Produção e Realização Audiovisual (já concretizado) e promover uma linha de formação de novos públicos em função da qual a iniciativa viesse a ter uma importância crescente no panorama cultural da cidade do Porto. 


Todos os objectivos têm vindo a ser integralmente cumpridos. Conta já entre os seus parceiros regulares com a Alliance Française, o Goethe Institut, a Universidade de Newport (UK), o Instituto de Cinema e Audiovisual e o Festival de Curtas Metragens de Vila do Conde. De ano para ano tem vindo a conquistar um número crescente de público, na sua maioria jovem. A última edição, cujo tema foi O Poder das Imagens, marcou oficialmente a abertura do Mestrado, serviu para fazer a ante estreia do documentário O Meu Coração Ficará no Porto sobre o dia 14 de Maio de 1958, data da célebre acção de campanha do General Humberto Delgado e deu a ver trabalhos em parceria com outras escolas do universo IPP no âmbito da criação e execução de partituras musicais especialmente concebidas para clássicos do cinema francês e alemão.


Todas as edições são programadas em função de um tema cuja abordagem se faz em termos da exibição comentada de filmes, fotografias, projectos multimédia e outras intervenções como sejam masterclasses, conferências e workshops. Há sempre um espaço para mostras de trabalhos de professores e estudantes dos Cursos, bem como de outras escolas portuguesas e sobretudo estrangeiras, no âmbito das relações internacionais entretanto estabelecidas. A designação para o ano em curso é Rosto Transversal e obedece a um conjunto de declinações que toma a centralidade do rosto como elemento de referência no contexto de uma abordagem transversal das artes.


Habitualmente, o Ciclo é programado uma vez feito o balanço da edição anterior pelas partes envolvidas e após a publicação dos materiais correspondentes, os quais cumprem, igualmente, uma função de divulgação. O balanço tem lugar em Janeiro, logo aí ficando acordado o tema da edição seguinte, bem como uma lista de possibilidades que é afinada em Março e Abril e concluída em finais de Maio, princípios de Junho.

Jorge Campos

239 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O Poeta