CULTURA

  • Jorge Campos

três candidatos presidencias à esquerda, gosto

Atualizado: 11 de Out de 2020



não sei ao certo quantos candidatos teremos nas próximas presidenciais. já anunciados há três de esquerda, um de uma franja infanto-liberal irrelevante e um quinto saído das catacumbas da marginalidade cujo nome evito pronunciar por razões de salubridade. há dias também apareceu o tino de rans a manifestar a intenção de... o tino é sempre um must. finalmente, pelo menos até ver, há ainda o futuro presidente que sem nada ter dito já disse tudo posto que não sendo ainda candidato passa o tempo no exercício da função, em campanha. diga-se, em abono da verdade, que o futuro presidente não tem estado mal na qualidade do atual. junta aos beijos e abraços uma razoável noção de medida, cultiva boas relações institucionais, respeita as formalidades da constituição e está sempre presente, porventura, até demasiado. regra geral, os portugueses apreciam o estilo que os tempos não estão para modas. ora tirando os desperdícios - o tino, o anacrónico ultra-liberal e o arruaceiro encartado - ficam os três candidatos da área socialista e comunista. são todos muito bons, com provas dadas em áreas em relação às quais o futuro presidente só conhece da navegação à vista. na verdade, a filiação ideológica, o seu passado e até as relações pessoais de uma vida, se nunca o afastaram da democracia, parecem condicionar-lhe o nervo para enfrentar as grandes questões do nosso tempo. sendo católico, ele nunca dirá ser necessário rejeitar o neoliberalismo como fez o papa Francisco. sendo pessoa de princípios observou sempre distância protocolar em relação à corrupção. sendo solidário raramente vai ao osso que é o mundo do trabalho. sendo bom observador tem dificuldade em olhar para os desmandos do sistema financeiro. alterações climáticas, refugiados e questões de género também não são a praia dele. de modo que aos três candidatos da esquerda não faltam matérias com que o confrontar democraticamente no quadro do entendimento do exercício das funções presidenciais. sendo um lubrificador sistémico com tendência para a marcha-atrás é bom que o nosso professor seja chamado ao debate. quanto ao mais, haver três excelentes candidatos à esquerda só me enche de satisfação. é altura de assumir a diversidade do socialismo como um bem inestimável.


05/10/2020

63 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo