CULTURA

  • Jorge Campos

Cinema e fascismo 4



O Grande Ditador (1940) de Charlie Chaplin. é mais um filme tão óbvio quanto inevitável nesta temática. Imagino que a maioria dos meus amigos o tenha visto ao menos uma vez, provavelmente mais do que uma. Por isso, trago apenas algumas notas. Em 1940 os Estados Unidos ainda não tinham entrado na guerra. Só o fizeram depois do ataque japonês a Pearl Harbour em 7 de dezembro de 1941. A corrente isolacionista tinha enorme peso e manietava o presidente Roosevelt. Grandes patrões americanos como Henry Ford financiavam Hitler e personalidades como Lindbergh eram simpatizantes do nazismo. O aviador ficou mesmo na tribuna do ditador na abertura dos Jogos Olímpicos de Berlim de 1938. Por outro lado, temerosa de perder o mercado alemão, a indústria cinematográfica americana aceitava pressões da embaixada da Alemanha no sentido de evitar fazer filmes desfavoráveis ao III Reich. Em 1940 Chaplin já era uma figura suspeita aos olhos do FBI. E, na verdade, foram feitos todos os esforços para o impedir de fazer o filme. Fê-lo contra tudo e ganhou a batalha. Aliás, com este filme ganhou a batalha e ajudou a ganhar a guerra.


115 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo