CULTURA

  • Jorge Campos

Cinema e Fascismo 5



Amarcord (1973) de Federico Fellini é um daqueles filmes tão conhecidos que dispensa apresentações. para mais quando se trata de um dos preferidos de tantos, visto e revisto, como é o meu caso. Fellini situa a acção na pequena vila de Rimini, no início dos anos 30. Mussolini já tinha eliminado a oposição interna, o assassínio do socialista Mateotti pelas milícias (os squadristi) pertencia ao passado, o folclore do gládio e do facho faziam parte do quotidiano, o duce servia de modelo a Hitler e alimentava a paranoia de refundar a roma imperial. Fellini recupera memórias de uma infância feliz e erotizada, a sua, e faz um retrato divertido dos próceres e instituições do fascismo provinciano. Amarcord quer dizer lembra-me. Neste caso, a lembrança é uma rêverie esplendorosa, a caricatura a lâmina reveladora do que está para além da superfície

108 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo